Rio Quente Resorts: vale a pena ficar hospedado dentro ou fora do complexo?

Portaria que dá acesso aos dois parques e três hotéis do complexo Rio Quente


O Rio Quente Resorts é um complexo de diversão e lazer no Estado de Goiás, Brasil. Fica na cidade de Rio Quente, e é composto por sete hotéis e três parques , sendo dois aquáticos e um de aventura.

Hotéis do Complexo Rio Quente Resorts


Dentro do Complexo


Hotéis bem afastados um do outro, mas existe um transporte interno entre parques e hotéis internos.

Hotel Pousada - o mais antigo, reformado, em frente Parque das Fontes
Hotel Turismo - o que chegou após o Pousada, perto do Hot Park
Hotel Cristal - o mais novo e luxuoso, fica atrás da Praia do Cerrado, famoso pela piscina d borda infinita

Fora do Complexo

Hotéis ficam aprox. a 800 metros da portaria principal, mas oferecem transporte a cada 20 minutos porta a porta. Os ônibus enormes e com ar condicionado passam na porta dos 3 hotéis para levar ou deixar hóspedes 24 horas por dia!


Giardino Suites - quartos para acomodar até 5 pessoas
Rio Quente Suite & Flat I
Rio Quente Suite e Flat III
Eco Chalés - mais afastado (4km dos parques), simples, e para quem está de carro

Hotel Pousada (dentro) Foto: Rio Quente Resorts

Hotel Turismo (dentro) Foto: Rio Quente Resorts

Hotel Cristal (dentro) Foto: Rio Quente Resorts
Hotel Giardino (fora)

Suite & Flat III (fora) Foto: Rio Quente Resorts

Suite & Flat I (fora) Foto: Rio Quente Resorts

Eco Chalés (fora) Foto: Rio Quente


Parques do Complexo Rio Quente Resorts


Hot Park - parque aquático de água quente repleto de atrações.
Parque das Fontes - parque de piscinas naturais de água quente no meio de pedras e muita natureza, só para hóspedes do complexo.
Eko Aventura Park - parque com atrações radicais em meio à natureza: rafting, tiroleza, trilha, quadriciclo, airsoft, arco e flecha, etc. Entrada free para hóspedes, porém todas as atividades são pagas! Fica fora do complexo, mas há transporte para hóspedes.

.....................................................................

Bom, agora vamos à realidade. Como eu já disse em outro post, pagamos cada centavo dessa nossa viagem, e não tenho razões aqui para deixar de contar tudo o que vimos por lá.

O que é melhor, hospedagem dentro ou fora do complexo? Ser hóspede do Resort ou ficar em outro hotel e comprar ingressos para os parques? Quais as vantagens e desvantagens?


O bairro da Esplanada na cidade de Rio Quente é repleto de flats, hotéis e pousadas. Vimos inúmeras opções de hospedagem para poder frequentar o Hot Park. Muitos se hospedam nesses locais mais baratos e compram ingressos para um ou dois dias de parque, avulsos. Esses visitantes não são considerados hóspedes Rio Quente Resorts, portanto não têm o direito de ingressar no Parque das Fontes ou no Eko Aventura Parque, e só possuem acesso ao Hot Park mediante compra de passaporte.

Muitos turistas passam o dia no parque, pois quem está nos hotéis de Caldas Novas aproveitam a proximidade para conhecer o complexo, pois mesmo com tantos parques aquáticos em Caldas Novas, o Hot Park ainda é considerando o maior da América Latina, e o melhor.

Mesmo gastando um pouco menos, a maior desvantagem é de não poder usufruir do Parque das Fontes, a maior beleza natural de águas termais que já vi, portanto descartamos de cara a hipótese de não nos hospedarmos em algum dos hotéis do Rio Quente Resorts.


Vantagens de ser um hóspede Rio Quente Resorts (dentro ou fora)


Caso queira conhecer e curtir o Hot Park, Eko Parque e o Parque das Fontes por inteiro, vai precisar de mais de um dia. Portanto, para isso, nós aconselhamos que hospede-se em algum dos hotéis do complexo para poder ter o livre acesso aos três parques. Mesmo sendo mais econômico ficar em pousadinhas e outros flats ali no bairro, ficando nelas você perde o direito de usufruir o Parque das Fontes, uma paraíso natural imperdível, aberto 24 horas com transporte e tudo.

Os parques abrem primeiro aos hóspedes, que possuem uma área VIP na famosa Praia do Cerrado.(conto tudo sobre isso aqui nesse post). 

Os hóspedes do complexo possuem transporte entre hotéis e parques em ônibus equipados com ar-condicionado, que passam na porta de seu hotel de 20 em 20 minutos, inclusive nos hotéis que estão dentro do Resort. E rodam 24 horas por dia, pois o Parque das Fontes funciona 24 horas!

Os hóspedes possuem dois locais dentro complexo para trocar suas toalhas de piscina a qualquer momento, toalhas que são cobradas uma única vez durante sua estadia (R$ 8 reais por hospede em toda a sua estadia. Estávamos em quatro pessoas, portanto nos cobraram R$ 32 reais no fechamento de conta).

E sendo um hóspede do Rio Quente Resorts, o que é melhor: estar hospedado DENTRO ou FORA do complexo?


Custos:

A hospedagem externa é realmente mais econômica, para se ter uma noção de montantes, viajamos em uma semana de julho, altíssima temporada, e o valor para 4 dias de hospedagem no Hotel Pousada (dentro) pagava a estadia de oito dias no Hotel Giardino (fora). Nós optamos por viajar por 8 dias e não apenas 4, gastando o mesmo.

Conforto: 

Os hotéis que estão dentro são nitidamente mais luxuosos, mas oferecem basicamente os mesmos serviços. O Hotel Giardino onde ficamos (fora) não tem luxo, mas é todo tematizado tal qual uma vila italiana, uma graça. Fizemos um review da nossa hospedagem logo abaixo.

Comodidade:

Acreditamos que a única desvantagem de estar nos hotéis de fora é a distância, e ter que depender do transporte interno. Mesmo tendo o transporte de ônibus porta a porta, com ar-condicionado, e tudo mais, encontramos o transporte lotado em alguns dias, viajamos os 800 metros em pé, molhados, com fome ou cansados. Dependemos do horário e itinerário do mesmo (ele sempre para nos 3 hotéis, e o seu hotel nem sempre é a primeira parada).



O Rio Quente Resorts vende pacotes com meia pensão incluindo o almoço, nunca o jantar, e esse é mais um "porém"... o dia no parque está tão legal, e seria melhor apenas caminhar até o hotel, almoçar e voltar. Mas estando fora do complexo fica mais demorado, e perdemos muito mais tempo do que imaginamos. O mesmo acontece a noite. Como o Parque das Fontes fica aberto 24 horas, quem está lá dentro tem livre e rápido acesso à ele durante a madrugada, ou bem cedinho. Quem está fora depende do transporte interno que circula em intervalos de tempo maiores.

Dentro do complexo também acontecem shows, teatros e muito agito no período noturno. Todos os hóspedes têm direito, estando hospedados dentro ou fora... Mas após o jantar, ainda mais se estivermos com crianças, fica muito cansativo voltar ao complexo, todo mundo está cansado. Diferente do que ter apenas que sair do saguão do hotel para participar das atividades, vantagem de quem se hospeda lá dentro. Mas quando falo "lá dentro", o Hotel Pousada ganha em disparado no quesito comodidade, pois mesmo os outros dois hotéis internos ficam afastados do burburinho noturno, exigindo uma boa caminhada ou o uso do transporte entre hotéis também! 

Mas, em contrapartida, vimos uma grande vantagem em estar fora do complexo na hora do jantar, pois no bairro Esplanada tem inúmeras opções gastronômicas, além de várias lojinhas, feirinhas, etc. Basta sair do hotel e você já tem acesso à tudo. Quem está hospedado dentro do complexo dessa vez precisa usar o transporte interno para ir até o centrinho. Dentro do complexo existem restaurantes, pizzarias, sorveterias, etc, mas o valor é extremamente elevado, impossível de arcarmos com eles dias seguidos. 

Após nossa viagem ficou nitidamente claro que para quem quer conforto e comodidade, a melhor opção é se hospedar dentro do complexo. Mas para quem viaja com as continhas na ponta do lápis, vale o esforço do transporte interno ficando em um dos hotéis externos! 


Aguardando transporte na porta do Hotel Giardino


Veja abaixo como foi a nossa hospedagem no Hotel Giardino, um dos sete hotéis do complexo Rio Quente Resorts.

Mapa do Complexo Rio Quente Resorts

Como foi nossa hospedagem no Hotel Giardino, do Rio Quente Resorts

Foto: Rio Quente Resorts

O horário do check-in nos hotéis do complexo é sempre ao meio dia, e o check-out às 10 horas da manhã. Dessa forma, na entrada você tem o almoço e no último dia apenas o café da manhã.

Chegamos quase uma hora antes e encontramos uma enorme fila de carros na porta do hotel, e uma enorme fila de hóspedes para o check-in. O Hotel Giardino oferece estacionamento coberto com manobrista, mas optamos por deixar nosso carro na porta do hotel, haviam vagas e a rua é muito tranquila e com muita sombra.

No momento do check-in recebemos uma ficha para preenchimento com dados principais, e é nela que você adere ou não ao seguro médico, serviço que mencionei aqui nesse post, leia antes para avaliar a importância desse item. A recepcionista nós dá uma "aula" sobre o uso dos cartões de consumo (os mesmos são usados para abrir a porta do seu quarto e para lhe dar acesso à todos os parques e áreas reservadas), que devem obrigatoriamente não sair do seu pescoço. Os cartões das crianças abrem portas e dão os acessos, mas são bloqueados para consumo até que os pais peçam o contrário, achei excelente.



Devido ao tumulto de entrada, nós mesmos levamos nossa bagagem ao quarto. Estávamos cansados e já com fome.

Acomodações:
O apartamento é excelente, acomodava cinco pessoas tranquilamente, eram quatro ambientes repletos de armários, prateleiras, dois televisores, ar-condicionado, cofre, mesa, sofá, e toda a estrutura necessária para uma boa hospedagem. Sem luxo, mas confortável e funcional. O serviço de quarto era eficiente, sempre encontrávamos o quarto limpo e arrumado no horário do almoço. Nota dez!



Refeições:
Sinceramente, acho que após 7 dias almoçando no mesmo restaurante, começamos a ficar enjoados. Mas o buffet de café é ótimo, o almoço self-service com boas opções, um pouco além do básico, mas nada excepcional. Não provei nada que eu pudesse exclamar "Que delicioso!". Estava tudo "razoável ou bom". O que não agradou realmente foi o serviço de atendimento do restaurante, atendentes conversando, demora na reposição de alguns itens, demora na limpeza de mesas... Mas relevamos pois o hotel estava lotado! Embora não pareça, o restaurante é enorme, opera em dois andares, então não houve desconforto para fazer as refeições em alta temporada. As bebidas são inclusas no pacote de meia pensão (exceto alcoólicas), e entram no sistema de self-service, atendentes só estão no local para repor itens e limpar mesas.






Serviços:

  • Com apenas um elevador para toda a lateral de um prédio, era difícil usá-lo. Estávamos no segundo andar, a escada foi usada sempre. Pessoas com mais dificuldade teriam que ter mais paciência para subir ou descer, pois nos horários de rush (café e almoço), o único elevador ficava bem disputado. 
  • Havia uma piscina no jardim do hotel, mas parecia de enfeite, não vi ninguém por ali. 
  • O sinal de wi-fi não chega nos quartos, funciona apenas no lobby, e somente hóspedes recebem senha de acesso e devem logar no sistema mediante um cadastro. E o mesmo cadastro é aceito em todas as livres zonas de wi-fi nos parques.
  • Assim como em alguns hotéis do complexo, não há serviço de jantar nos restaurantes internos. No Hotel Giardino servem uma "sopinha" noturna ou uma "jantinha" que é um PF (prato feito) padrão para todo o resort. Em algumas noites a "sopinha" caiu muito bem, mas bem no meio da semana sofreu uma senhora inflação (passou de R$ 14,90 para R$ 17,90 por pessoa!!!) o que causou uma certa revolta entre os hóspedes. Sem noção.
  • As toalhas de piscina podiam ser trocadas diariamente, mas os únicos pontos de troca ficavam lá dentro do resort, ou no Hotel Pousada ou na passagem do parque das Fontes para Hot Park. 

Sopinha noturna Hotel Giardino

O Bairro da Esplanada, o "centrinho" de Rio Quente


Como era impossível tomar "sopinha" todas as noites no Hotel Giardino, e voltar para dentro do resort para jantar era cansativo além de caro (conheça as opções gastronômicas do Rio Quente Resorts aqui), bastava sair a pé do Hotel e já estávamos na rua mais badalada da região, a Rua Mato Grosso, repleta de barzinhos, lojinhas, lanchonetes e restaurantes.

Experimentamos de tudo por lá, mas o local que mais gostamos e chegamos à repetir foi o charmosinho "Empadão Goiano da Tânia". Nunca tínhamos experimentado o tal do "empadão goiano", e foi uma surpresa deliciosa... Não deixe de passar por lá em sua estadia!

Empadão Goiano



Nos demais locais passamos nervoso, e olha que não ando sem consultar o Trip Advisor antes! No famosinho Moderato Grelhados e Burgers sofremos com uma espera de mais de 1 hora e o hambúrguer foi decepcionante (e caro, cerca de 26 reais por pessoa). Na pizzaria San Sarah, que fica bem na esquina da rua movimentada, a espera foi de doer, com uma música ao vivo de doer e a pizza... a do supermercado do meu bairro dá de mil. Então cuidado na escolha, e chegue sempre cedo para não ficar mais de uma hora esperando sua refeição.


Gostou? Já esteve em algum desses hotéis? Conta pra gente!!!

Fizemos essa viagem na última semana de julho de 2016, alta temporada. Contamos como foi chegar em Rio Quente à partir de São Paulo, de carro, aqui nesse post.

Curta nossa página no Facebook para receber postagens e fotos das demais redes sociais do Vem pro Parque! Dúvidas sobre a sua viagem? Entre para o grupo fechado Parques do Brasil e troque informações com outros viajantes!

Mais sobre a nossa Viagem:


14 comentários

  1. Adorei o post, super informativo! O resort é lindo demais, fiquei com vontade de pular na piscina hahahah

    ResponderExcluir
  2. Amoo o Rio quente, minha família não perde uma chance de conhecer parques aquáticos hahaha e nossa viagem pra lá anos atrás foi muito divertida. Ficamos também fora do parque e fomos um dia só, mas deu pra aproveitar.
    Adorei suas dicas, realmente um post muito completo, coisa difícil de se ver por aí

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Matheus!! Que legal, é muito bom, lugar para voltar sempre né?

      Excluir
  3. Fico aqui só babando e morrendo de vontade.

    ResponderExcluir
  4. Débora, parabéns pelo post, super completo. Já me hospedei no Rio Quente Resorts uma vez e adorei!!! Mas acho o custo benefício muito alto e prefiro me hospedar fora do parque e comprar os ingressos para passar o dia. Vale a pena se hospedar lá nem que seja uma vez para conhecer. O complexo é enorme e tem muitas atrações.

    ResponderExcluir
  5. Acho que faria a mesma opção que você. Mesmo com os perrenguinhos, economiza e tem acesso ao Parque das Fontes.

    Encararia de boa o ônibus, se pudesse ficar mais tempo no lugar. Ou então ia andando mesmo. Mas nada de pagar tão mais caro. hahaha

    ResponderExcluir
  6. Nossa, super completo o post. Com certeza fiquei morrendo de vontade de conhecer o Rio Quente e aproveitar tuuudo! Achei suas dicas ótimas.

    ResponderExcluir
  7. Parece uma viagem bem animada, principalmente para a criançada que adora esse parques de águas. O desanimador mesmo é o transporte que dificulta demais para quem se hospeda fora, pelo que entendi. Achei o hotel que ficaram excelente, mesmo com alguns poréns, ainda mais que aumentou o período da viagem e sempre vale a pena ficar mais tempo viajando, não é?

    ResponderExcluir
  8. Adorei o post! super completo e me esclareceu várias dúvidas sobre como funciona pra quem se hospeda fora do complexo. Esse é um destino que desejamos conhecer, então suas dicas e informações vieram bem a calhar.

    ResponderExcluir
  9. Essa é uma dúvida constante. Meus pais foram e ficaram fora E disseram q financeiramente, não vale pagar tão caro. Mas vai do bolso de cada um...
    Seu post tá Beeem explicadinho!

    ResponderExcluir
  10. Eu leio tudo mais ainda não entendi kkkkk, quero muito conhecer a tal praia do cerrado ficando fora tbm tenho acesso a ela?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Praia do Cerrado está dentro do Hot Park, e nele qualquer pessoa que paga o ingresso pode entrar. Se você for hóspede de um dos hotéis do Rio Quente Resorts (dentro ou fora) entra sem ingresso, pois é hóspede deles. Se estiver em outro hotel que não seja do grupo Rio Quente Resorts, basta comprar o passaporte e entrar. O único parque que realmente APENAS quem é hóspede do grupo Rio Quente pode frequentar é o Parque das Fontes, pois lá não há venda de ingresso "pro povo de fora" rsrsrsrs

      Excluir
  11. Estava com muitas dúvidas. Bem explicado obrigada

    ResponderExcluir

Vai ser muito bacana ter um comentário seu aqui! Todos os comentários do blog são moderados, então em breve será publicado. Enquanto isso continue curtindo nosso blog, Vem pro Parque!